Sociedade

Bloco quer uma resposta da autarquia aos casos dos sem-abrigo na cidade

• Favoritos: 27


Os bloquistas alertam para a falta de habitação em S. João da Madeira e para “inúmeros casos de carência habitacional”, lembrando que está na altura da autarquia dar “resposta” aos casos de “sem abrigo” na cidade.

“Estas fotografias mostram o olhar de alguém que viu aquilo que a Câmara já devia ter resolvido; mostram um problema que já deveria ter sido uma prioridade da Câmara desde o primeiro mandato”. A frase é de Eva Braga, deputada municipal do Bloco de Esquerda (BE), durante a visita à exposição “Trilhos de Rua”, na última terça-feira, patente na Sala Auditório da Torre da Oliva, que mostra uma realidade de seis sem-abrigo sanjoanenses, que permitiram fotografar os locais onde pernoitam, compartilharam conhecimentos, histórias, emoções, sonhos que não concretizaram, e que poderão mesmo nunca acontecer.
As rendas elevadas e a falta de habitação pública “fazem com que muitas pessoas não consigam ter uma habitação condigna, muitas dessas pessoas caem em situação de sem-abrigo”.
A visita contou ainda com a presença de Moisés Ferreira, deputado eleito por Aveiro, lembrando que “são várias as pessoas que não têm habitação permanente” e residem na rua, em casas abandonadas ou em respostas temporárias e de emergência. “Todas estas pessoas estão em situação de sem-abrigo e a todas elas a autarquia tem que dar uma resposta”, frisa.
Por seu turno, Sara F. Costa, candidata do Bloco à Câmara Municipal nas últimas eleições, lembra que quando o Bloco alerta para a realidade dos sem-abrigo na cidade “há quem diga que eles não existem; no entanto, mesmo longe dos olhares das zonas mais centrais da cidade, eles existem e merecem a nossa solidariedade”.
Para esta força política é fundamental implementar em S. João da Madeira um projeto de Housing First (Habitação Primeiro). “É um projeto de reinserção de pessoas sem-abrigo, começando exatamente pela atribuição de uma casa própria e pelo acompanhamento social para, a partir daí, reinserir a pessoa no trabalho e na sociedade”, enfatizam.

Ar­tigo dis­po­nível, em versão in­te­gral, na edição nº 3866 de O Re­gi­onal,
pu­bli­cada em 18 de novembro de 2021

27 Recomendações
comments icon0 comentários
0 favoritos
20 visualizações
bookmark icon

Escreva um comentário...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *