Autárquicas 2021

Clara Reis foi a mais votada para a Assembleia Municipal

• Favoritos: 58


A lista do PS, encabeçada por Clara Reis, foi a mais votada para a Assembleia Municipal de S. João da Madeira, garantindo 48,00%, contra os 34,35% da coligação PPD/CDS-PP/IL. O que separou as duas candidaturas foram 1325 votos.

Clara Reis (PS) conquistou a liderança da Assembleia Municipal (AM) de S. João da Madeira, com 48,00% dos votos (4660 votantes). A professora sanjoanense, licenciada em Línguas, Literaturas e Linguística Germânica, e fundadora da Escola Inglesa, volta, assim, a assumir este órgão a que preside desde 2017, quando o PS venceu as eleições autárquicas com maioria absoluta.
“Renovei a candidatura porque senti-me feliz com o resultado dos últimos quatro anos. Entendi que fui útil para a cidade, que foi feito um trabalho positivo, no sentido da cidadania e da formação, essencialmente dos nossos jovens, tenho a intenção de reforçar esse trabalho e temos várias ideias para manter aquilo que foi feito”, assumiu aos jornalistas, poucos minutos de conhecer os resultados finais.
Explicou ainda que a intervenção da AM vai ser ainda maior, de forma a “promover a inclusão e a integração de toda a gente na nossa sociedade e a sensibilidade para todas essas questões”.
Durante o último mandato, Clara Reis destacou-se pela criação da Assembleia Municipal Jovem, um projeto que visa a aproximação de jovens estudantes à vida política autárquica. Outro dos destaques passa pela aproximação da população e da comunidade escolar às comemorações do 25 de Abril.
A docente acredita que o trabalho nos próximos quatro anos vai ser mais uma vez em conjunto, uma vez que considera que os três órgãos “são apenas um que trabalham para a cidade”, realçando que só desta forma haverá sucesso. Foi este um dos motivos que a levou a recandidatar-se a mais um mandato, onde assume estar “de alma e coração”.
Jorge Vultos Sequeira disse no seu discurso de vitória que não tem dúvidas de que Clara Reis vai continuar a desempenhar o seu importante trabalho que fez ao longo destes quatro anos. “Estou seguro, tal como disse em outubro de 2017, que a Assembleia Municipal nunca mais vai ser a mesma. E isso vai acontecer novamente”, enfatizou o edil.
De salientar, que a docente disse recentemente a ‘O Regional’ que a sua decisão para voltar a candidatar-se prendeu-se com a vontade de “continuar a contribuir” para o desenvolvimento de S. João da Madeira, para “aproximar os munícipes do poder local” e manter o “caminho do sucesso”. Deveu-se, ainda, à certeza de que não estará sozinha, mas que tem a seu lado, “companheiros de lutas e conquistas, um grupo de pessoas sérias, inteligentes, empenhadas e criativas, liderado por um presidente que deu provas de competência e liderança assertiva”.

58 Recomendações
38 visualizações
bookmark icon