Sociedade

Utentes reclamam das más condições de atendimento

• Favoritos: 3


Susana Pinto foi a voz do descontentamento de um conjunto de clientes da Caixa Geral de Depósitos. A sanjoanense lamentou a ‘O Regional’ as aglomerações à porta do banco e queixa-se de desrespeito e falta de esclarecimento por parte dos responsáveis.

As obras na Praça Luís Ribeiro e as restrições ao atendimento que decorrem da pandemia estão a fazer disparar as reclamações dos clientes da Caixa Geral de Depósitos. Tudo devido ao que consideram ser as “más condições” e o “mau atendimento” prestado pelo banco público a quem se dirige presencialmente à agência de S. João da Madeira.
Susana Pinto foi quem verbalizou estas queixas a ‘O regional’, criticando as condições oferecidas a quem espera no exterior da agência e que, recorda, “não se consegue sentar em lado nenhum” devido ás obras na zona central da cidade. “A maioria das pessoas são idosas, algumas com cadeira de rodas, outras com máquina de oxigénio e estão ali, sem qualquer satisfação por parte da Caixa”, observa esta sanjoanense. A cliente afirma mesmo ter-se sentido “indignada” com a forma como os responsáveis da sucursal bancária se dirigiram aos clientes: “fecham a porta na cara das pessoas enquanto elas falam e expulsam-nas sem informar, previamente, que não podiam entrar”.

3 Recomendações
9 visualizações
bookmark icon