Desporto

Raquel Santos foi a "carrasca" da Sanjoanense

• Favoritos: 19


Terceiro desaire consecutiva da Sanjoanense para o campeonato feminino de hóquei em patins. No sempre difícil reduto dos Carvalhos as alvinegras perdiam ao intervalo, por 2-0, ainda empataram, mas acabaram por sofrer a três minutos do final (3-2).

A Sanjoanense chegou aos Carvalhos com uma sequência de duas derrotas consecutivas em S. João da Madeira. Frente a um adversário tradicionalmente complicado, as alvinegras entraram no rinque dispostas a colocarem em prática o seu jogo ofensivo, mas do outro lado esteve uma equipa que fechou bem os caminhos da baliza, saindo bem em transição.

Foi dessa forma que as jogadoras dos Carvalhos começaram a criar situações de perigo junto da baliza de Catarina Viola, e à passagem dos nove minutos de jogo surge o primeiro penálti a favorecer a equipa da casa. Raquel Santos, a “mulher golo” dos Carvalhos, rematou forte, mas Catarina Viola esteve melhor e evitou o primeiro golo da partida.

Mas, se não marcou à primeira, marcou à segunda tentativa. Aos 14 minutos, novo penálti a favorecer a equipa da casa, e Raquel Santos, desta vez não deu qualquer hipótese a guarda-redes alvinegra. Estava feito o primeiro golo da partida (1-0).

A Sanjoanense a perder teve de ir atrás do prejuízo e começou a pressionar alto. Ofensivamente começou a ficar por cima no jogo, criando diversas situações de perigo junto da baliza de Inês Freitas. Mas, é mais uma vez em jogada rápida de transição que o Carvalhos chega ao golo, pela suspeita do costume, Raquel Santos, que bisou na partida (2-0), aos 22 minutos.

Até ao intervalo o resultado não sofreu mais alteração, e as equipas recolheram aos balneários com o CH Carvalhos a vencer por 2-0.

Entrou melhor a Sanjoanense no segundo tempo, a pressionar o adversário e a procura de um golo que coloca-se a equipa na luta pelo resultado. O Carvalhos ia defendendo como podia e adiando o primeiro golo das alvinegras, que só aconteceu aos 34 minutos, e de bola parada, a castigar uma falta de Mafalda Monteiro, punida com cartão azul. Ana Rita Couto, chamada a bater o livre direto fez o 2-1.

Galvanizadas pelo golo, as “guerreiras” foram com tudo para cima das adversárias, que rapidamente chegaram à 10ª falta, punida com livre direto. Novamente chamada à cobrança, Ana Rita Couto tentou colocar a bola no canto da baliza de Inês Freitas e na recarga, Bárbara Marques, fez o empate. O golo premiava a equipa que viajou de S. João da Madeira, que acreditou ser possível dar a volta ao marcador.

O jogo entrou numa fase de muita luta e de muito contacto, com as faltas a avolumarem-se para os dois lados, até que, aos 41 minutos, a Sanjoanense atinge também a 10ª falta. A goleadora da equipa da casa, Raquel Santos foi chamada à marcação do livre direto, optando por surpreender a guarda-redes alvinegra com um remate de primeira, mas a bola a sair ao lado.

Havia muito tempo para se jogar e o jogo ficou vivo, com as duas equipas à procura do golo que desse a vitória. E, foi apenas aos 47 minutos, que o desempate aconteceu, por Raquel Santos, que desferiu um forte remate cruzado, do lado direito do seu ataque surpreendendo Catarina Viola, e voltando a dar vantagem ao Carvalhos (3-2), resultado que conseguiram segurar até ao apito final.

Com esta derrota, no sempre difícil reduto dos Carvalhos, a Sanjoanense soma o seu terceiro desaire consecutivo, mantendo os 13 pontos e a terceira posição. Na próxima jornada, que se jogará a 2 de maio, as alvinegras recebem o Infante Sagres, pelas 17h00, equipa que agora está em igualdade pontual com as alvinegras.

19 Recomendações
99 visualizações
bookmark icon