Sociedade

Sanjoanenses na corrida aos testes rápidos

• Favoritos: 24


Os testes rápidos de antigénio para deteção de casos de infeção por covid-19, estão a gerar uma elevada procura na cidade. As reservas já começaram mesmo antes da comercialização, principalmente por pessoas que cuidam de familiares idosos

Os testes antigénicos à presença do SARS-CoV-2, que podem ser feitos em casa, começaram, na última semana, a ser vendidos nas farmácias em S. João da Madeira e, de acordo com o que ‘O Regional’ apurou, a procura começou logo no primeiro dia.
Numa ronda por várias farmácias da cidade, grande parte dos farmacêuticos sublinham que os autotestes “não são tão fiáveis” como os testes PCR e antigénio realizados por profissionais de saúde, mas que, na verdade, “podem” ajudar na deteção de casos de infeção.
Paula Alexandra Praça, diretora da Farmácia da Estação, explicou a ‘O Regional’ que a venda do autoteste na sua farmácia começa sempre com uma primeira explicação. “As pessoas tinham curiosidade. Ter um kit em casa é encarado por muitas pessoas como confortante, perante uma situação de urgência que possa surgir. A população está muito marcada com estes tempos de pandemia”. E a prova disso é que, dos 25 testes que chegaram a esta farmácia, “14 foram logo vendidos nos primeiros dias”.
A responsável máxima pela farmácia, em plena Avenida Dr. Renato Araújo, enfatiza ainda que alguns clientes, além da curiosidade relativa ao teste para fazer em casa, sempre questionaram muito a farmácia “se podiam ali realizar o teste de despistagem da covid-19. As pessoas querem andar descansadas. Isto já dura há muito tempo”.

Ar­tigo dis­po­nível, em versão in­te­gral, na edição nº 3839 de O Re­gi­onal, pu­bli­cada em 15 de abril de 2021.

24 Recomendações
201 visualizações
bookmark icon