Cultura e Lazer

“Abat-jour” é a obra vencedora do Prémio Literário João da Silva Correia

• Favoritos: 29


"Abat-jour" é uma obra com "sentido de humor

“Abat-jour” é o título da autoria de Orlando Artur Ferreira de Barros, de Viana do Castelo, e o grande vencedor da mais recente edição do Prémio Literário João da Silva Correia – Poesia, promovido pela Câmara Municipal de S. João da Madeira. Foram também atribuídas menções honrosas a “Depois da tempestade, a memória” e “Linha d’Agua”.
A decisão foi tomada pelo júri, constituído pelo diplomata, escritor e ex-Ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, pelo poeta, escritor de literatura infantojuvenil e comissário do Festival Poesia à Mesa, José Fanha, e por António Lopes, representante da editora Âncora, com a qual o Município de S. João da Madeira mantém, há largos anos, uma parceria na edição dos livros do Prémio João da Silva Correia.
Em comunicado, a autarquia refere que, considerando “Abat-jour” uma obra “bem estruturada”, o júri destaca o “sentido de humor” que emana de “uma linguagem segura, que consegue brincar consigo própria”. Ainda assim, “não foi fácil a escolha”, dada a qualidade de trabalhos a concurso, daí terem sido ainda indicadas duas menções honrosas – “Depois da tempestade, a memória”, de Italo Cruz (pseudónimo), e “Linha d’Agua”, de José Manuel Teixeira.
Entretanto, a Câmara Municipal de S. João da Madeira anunciará, oportunamente, a data e os moldes em que decorrerá a cerimónia de entrega do prémio.
A mesma nota refere ainda que, ao todo, foram recebidas 66 obras, incluindo do Brasil, o que representa uma nova subida no número de concorrentes, que, na edição anterior, chegou às quatro dezenas, tendo saído vencedora “Manhãs do Mundo”, de Nuno Figueiredo.
De salientar que, a partir de 2019, este concurso ganhou uma maior abrangência geográfica, já que deixou de ser imposta a condição de os candidatos terem ligação ao concelho de S. João da Madeira, o que contribui para uma maior divulgação e um maior número de obras a concurso.
Lembre-se que, este prémio, lançado em 2006, tem o nome do escritor e jornalista sanjoanense João da Silva Correia (1896-1973), autor do romance “Unhas Negras”. Cada vencedor é distinguido com a garantia da publicação da obra selecionada, mediante a comparticipação financeira, pela Câmara Municipal, nos custos da respetiva edição, até ao limite de 2.000 euros.

29 Recomendações
298 visualizações
bookmark icon