Sociedade

Abril é o mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

• Favoritos: 29


No âmbito da Campanha “Abril - Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância e Juventude”, a CPCJ de S. João da Madeira promove um conjunto de iniciativas que envolve a comunidade local com vista à sensibilização de toda a comunidade.

A CPCJ de S. João da Madeira, no âmbito do Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância, desenvolveu na cidade de S. João da Madeira o conceito de Cidade Azul, mobilizando toda a comunidade a aderir a esta causa, que é de todos, colorindo a cidade de azul. A pandemia da covid-19, recorda o organismo, “limitou as interações físicas entre as pessoas, mas incrementou as interações virtuais”, demonstrando que, “quando queremos, podemos estar juntos e unidos”.
Assim, a CPCJ de S. João da Madeira lança um desafio a toda a comunidade sanjoanense. Ao longo de abril, vão decorrer algumas iniciativas, nas redes sociais, na comunicação social, em espaços inusitados, “para a qual gostaríamos que estivessem atentos… fotografassem, filmassem e partilhassem nas vossas páginas, identificando a página do facebook da CPCJ de S. João da Madeira e utilizando o #cidadeazul e #cpcjsjm”.
Micaela Marques, Presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de S. João da Madeira, explicou a ‘O Regional’ que “as atividades do mês de abril estão associadas à Campanha do Laço Azul e, este ano, devido à pandemia, as possibilidades de realizar ações envolvendo um grande número de pessoas, como as “12h a correr por uma causa” ou a construção do laço azul humano, não será possível”. Nesse sentido, a CPCJ de S. João da Madeira, “não baixou os braços” e, de forma a dar visibilidade à Campanha do Laço Azul, está a promover, em colaboração com os diferentes parceiros, diferentes atividades.
Importa ainda referir que o movimento criado pela CPCJ, a Cidade Azul, “já mexe sozinho e têm sido várias as estruturas a surgir com atividades que partem de si mesmas”, assinala. Para esta responsável, S. João da Madeira “já provou que se une em prol desta causa que é de todos”.
Ao longo do mês, não vão faltar iniciativas: “teremos contadores de histórias, para miúdos e graúdos; uma marcha lenta...ou duas, para alertar para a importância de estar atento; um laço gigante, não humano desta vez, mas algo físico que, por trás, terá sempre pessoas que cuidaram da sua existência; conversas e fitas azuis por aí”, resume Micaela Marques. Acima de tudo, a organização quer ver a cidade mobilizada e identificada com esta campanha. “Gostaríamos muito que em todas as janelas fosse afixado um laço azul ou um arco-íris em tons de azul. Estamos a criar uma imagem nossa para disseminar, mas apelamos também à criatividade de cada um, numa manifestação de que nem uma pandemia nos faz ficar desatentos aos maus tratos na infância”, refere a CPCJ.
Lembre-se que “Abril - Mês de Prevenção dos Maus-Tratos na Infância e Juventude”, é uma campanha que tem como principais objetivos promover os direitos das crianças, relações de proximidade, de afeto e uma parentalidade positiva entre pais e filhos, sensibilizando a comunidade em geral para a importância da prevenção e inexistência dos maus-tratos na infância e juventude.

29 Recomendações
162 visualizações
bookmark icon