Cultura e Lazer

Mafalda Veiga: “Neste momento, levar poesia às pessoas é vital”

• Favoritos: 17


Homenageada no Poesia à Mesa, Mafalda Veiga é o destaque do último dia do festival. Para a cantautora foi “muito bom” vir a S. João da Madeira filmar na Casa da Criatividade a ‘Matiné Poética’, que será transmitida no próximo domingo, dia 21.

Como foi preparar a participação digital no Poesia à Mesa?
A maior parte dos eventos têm sido feitos desde de casa, por zoom, e encontramo-nos virtualmente através dessas plataformas. Por isso, foi muito bom poder filmar, com todos os cuidados, toda a gente fez o teste covid antes e todos os técnicos estavam de máscara. Foi muito bom, mesmo sem público, poder gravar no palco, podermos estar juntos a conversar no mesmo. Para a maior parte dos músicos e escritores que se relacionam com o palco e que vivem de fazer concertos, esta fase de não podermos trabalhar tem sido um horror e as saudades do palco são imensas. Portanto, foi muito bom ter esta conversa extraordinária com o Paulo Condessa e o José Fanha, na Casa da Criatividade, e com todas as regras de segurança. Pelo menos, estávamos ali pessoalmente e olhávamos uns para os outros. Foi uma experiência ótima, estava com muitas saudades do palco.

A vinda a S. João da Madeira já estava prevista para a edição de 2020, que foi interrompida devido ao combate à covid-19. Um ano depois, e ainda a vivermos uma pandemia, faz ainda mais sentido levar poesia às pessoas?
Faz sempre sentido, continuará a fazer sempre em todas as circunstâncias. Neste momento, acho que levar arte às pessoas e levar poesia às pessoas é mesmo vital. As pessoas precisam disso para acreditar na vida e para se sentirem integradas neste mundo que mudou de uma forma tão estranha e nos deixou tão longe uns dos outros. A palavra leva os afetos, a transcendência da nossa existência, tudo aquilo que acho que temos, infelizmente, vindo a ser impedidos de viver uns com os outros. Tem sido uma prova de esforço incrível, uma prova de resistência enorme e, para algumas pessoas, principalmente artistas e pessoas relacionadas com as artes do espetáculo, tem sido completamente impeditivo de ser quem são, terem o seu trabalho, poderem ter rendimentos pelo seu trabalho. Tem sido muito complicado para toda a gente, mas, sem dúvida, para os artistas, tem sido complicadíssimo.

Ar­tigo dis­po­nível, em versão in­te­gral, na edição nº 3835 de O Re­gi­onal, pu­bli­cada em 18 de março de 2021.

17 Recomendações
44 visualizações
bookmark icon