Política

Contrato-programa com bombeiros no fundo de discussão política

• Favoritos: 30


A discussão até começou simpática, com agradecimentos a quem combate, há um ano, a pandemia, mas, azedou, novamente por causa do novo campus universitário em Oliveira de Azeméis e, depois, na discussão do contrato-programa com os bombeiros.

Na reunião de câmara de terça-feira, dia 2, o chefe do executivo municipal enalteceu o “empenho” dos profissionais de saúde que estão a trabalhar no Centro de Vacinação, onde, até às 13 horas desse dia foram vacinadas 2411 pessoas. “Trabalham sete dias por semana, em média 10 horas por dia, para que a vacinação seja rápida e eficiente”, assinalou, considerando "heróico" o esforço dos profissionais.
Jorge Vultos Sequeira elogiou as equipas do município, de vários gabinetes e divisões, bem como o coordenador da proteção civil. “Na globalidade, todos os funcionários da câmara assumiram e incorporaram a ideia que são agentes de proteção civil, estando disponíveis para todas as tarefas, o que permitiu ao município dar respostas” em todas as áreas. Deixou “uma palavra muito especial” para a CERCI e Santa Casa da Misericórdia.
O vereador da coligação PSD/CDS, Paulo Cavaleiro, associando-se aos agradecimentos considerou que “todos têm sido importantes para atenuar esta crise” e que “a câmara esteve bem” no centro de vacinação, mas gostava de ver o mesmo empenho noutras questões como a testagem.
“Era importante que nós tivéssemos o nosso plano de desconfinamento” para “perceber onde será preciso atuar” e “prever o que vai acontecer”, referiu, sugerindo, por exemplo, testar todos os comerciantes antes de voltarem a abrir para dar “algum conforto”. E “era importante que a câmara encontrasse um programa para que fosse mais fácil a recuperação dos prejuízos”, reiterou.

Ar­tigo dis­po­nível, em versão in­te­gral, na edição nº 3833 de O Re­gi­onal, pu­bli­cada em 4 de março de 2021.

30 Recomendações
107 visualizações
bookmark icon