Região

A história de Milheirós por Manuel Conceição

• Favoritos: 31


“Páginas de História de Milheirós de Poiares”, da autoria de Manuel Joaquim Santos Conceição, é um livro dividido em sete capítulos que retrata várias histórias e estórias de Milheirós de Poiares e destaca algumas pessoas mais marcantes da freguesia.

Jornal ‘O Regional’ - “Páginas de História de Milheirós de Poiares” foi um desafio pessoal?
Manuel Joaquim Conceição - A história regional do espaço que me circunda sempre me fascinou. Há vários anos que venho publicando trabalhos de história na Revista Villa da Feira, da LAF (Liga dos Amigos da Feira), abordando diversos temas respeitantes a Milheirós de Poiares, freguesia onde nasci e resido. Proferi algumas palestras e orientei vários roteiros históricos anuais relacionados com as aludidas publicações.

Mas em que altura nasce a ideia de escrever o livro?
A ideia da publicação do livro Páginas de História de Milheirós de Poiares surgiu no decurso do ano transato no seio da Associação Abraçar Milheirós de Poiares, de cujos corpos gerentes faço parte, no âmbito da comemoração do I Milenário da Povoação de Gaiate. A Associação sugeriu e eu aceitei compilar num livro os vários trabalhos relacionados com as atividades mencionadas e publicados na dita revista, incluindo também a notícia da homenagem ao empresário excecional, empreendedor e humanista que foi Rui Moreira.

Trata-se de uma obra que engloba a caracterização da freguesia e a descrição de tudo o que compõe Milheiros, é isso?
A obra não tem um caráter enciclopédico. É constituída fundamentalmente por uma abordagem parcial da história milheiroense, daí o título Páginas de História de Milheirós de Poiares.
Há alusão a diversos documentos, que, devidamente analisados, estruturados e interpretados, propiciam conclusões curiosas e interessantes sobre o passado dos vários povoados que integram a freguesia de Milheirós de Poiares, no que respeita à economia, atividade humana, demografia, edificações, vias de comunicação, religiosidade, cultura, etc., com uma incidência particular sobre a povoação de Gaiate, já que em 2020 comemorou-se e continua a comemorar-se mil anos do primeiro documento escrito que dela dá notícia.

Ar­tigo dis­po­nível, em versão in­te­gral, na edição nº 3833 de O Re­gi­onal, pu­bli­cada em 4 de março de 2021.

31 Recomendações
308 visualizações
bookmark icon