Sociedade

Covid-19: Misericórdia começa a voltar à normalidade

• Favoritos: 39


Há mais de um mês sem contágios positivos de SARS-CoV-2, a Misericórdia de S. João da Madeira confirma o levantamento de restrições, em cinco dos seus seis equipamentos, restando apenas um que deverá conhecer o mesmo fim ainda esta semana.

Os dias começam a voltar à normalidade na Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira, depois de um mês sem casos positivos de infeção de covid-19. A instituição confirma o levantamento de restrições pela Autoridade de Saúde – Unidade de Saúde Pública – ACES Aveiro Norte, em cinco dos seis equipamentos residenciais, acreditando que, este último, tenha “idêntica indicação” ao longo desta semana.
A Misericórdia diz, através de comunicado, que o levantamento aconteceu porque “já decorreram mais de 28 dias desde o último caso de infeção diagnosticado” e, assim sendo, o levantamento destas restrições “permite desconfinar” os residentes dos seus espaços habitacionais, partilhando espaços comuns, “mantendo-se restrições de saídas ao exterior, prover vagas pela admissão de candidatos, e reabrir as visitas de familiares”.
A mesma nota refere que, de todas, a implementação desta última medida “foi protelada, por prudência, até que os utentes completem 14 dias da toma da 2. ª dose da vacina”, tempo esse onde o grau de eficácia “os protegerá melhor em caso de infeção, minorando o grau de severidade da doença”.
A instituição anuncia ainda que outra consequência do levantamento de restrições “foi a elegibilidade à vacinação e a retoma do processo de rastreio coordenado pelo Centro Distrital de Aveiro do Instituto de Segurança Social IP”, que, semanalmente, rastreia 25% dos trabalhadores dos equipamentos residenciais de pessoas idosas (lares de idosos) e de portadoras de deficiência (lares residenciais).
Assim, na semana de 22 de fevereiro, foram realizados 31 testes PCR a trabalhadores de dois lares de idosos e de um lar residencial, tendo todos os rastreios dado resultado negativo. Foram vacinadas 32 pessoas de um dos lares de idosos, com a 2.ª dose da vacina, sendo 16 utentes e 16 trabalhadores. No entanto, em apenas um dos lares de idosos já foi administrada a 2.ª dose. Os restantes deverão, segundo a instituição, ter o processo concluído até meados do mês de março. De salientar que, no dia 28 de fevereiro, foram vacinados 88 utentes e 111 trabalhadores.
A mesma nota reforça que a Misericórdia “persiste” no esforço de melhoria das condições físicas de operação dos seus equipamentos residenciais, “executando aprendizagens adquiridas com o surto infecioso que atravessou, traduzidas na aquisição de equipamento social que melhore o desempenho profissional dos colaboradores”.
Neste âmbito, a instituição substituiu carros de recolha de roupa suja e carros de limpeza de superfícies, por outros “melhor compartimentados e sinalizados por cores, ajudando, deste modo, a clarificar os procedimentos de trabalho e a evitar o incorrer em erro profissional”, revela a instituição.

39 Recomendações
66 visualizações
bookmark icon