Geral

Cidade continua em risco extremo, com 80 novos casos na última semana

• Favoritos: 8


S. João da Madeira continua em risco extremo de infeção de covid-19, com 984 casos por 100 mil habitantes. Na última semana, foram contabilizadas 80 novas infeções de SARS-CoV-2. A vacinação aos bombeiros e aos utentes referenciados também já começou

O relatório epidemiológico apresentado na última segunda-feira, dia 15, pela Direção-Geral da Saúde, revela que se mantém a tendência de descida de casos de infeção de covid-19 na região. S. João da Madeira (984) e Vale de Cambra (971) são as duas cidades que se mantêm em risco extremamente elevado, apesar de já se encontrarem muito próximas da linha de risco inferior - 480 a 960 casos por 100 mil habitantes.
Relativamente a S. João da Madeira, o mais pequeno concelho do país, os casos ativos na primeira semana de fevereiro (58) desceram face à semana anterior (132), à semelhança do que aconteceu a nível nacional.
Quanto à incidência de casos, nesse mesmo período foram registados 264.1, um decréscimo acentuado, pois S. João da Madeira vinha de 601.1, na primeira semana de fevereiro. Sendo assim, são menos 56% de casos de infeção por covid-19, dados do relatório do Departamento de Saúde Pública da ARS Norte.
Dia 9 de fevereiro, S. João da Madeira tinha confirmados 2174 infeções, tendo-se verificado uma subida de sete novas infeções relativamente ao dia anterior. No dia seguinte, assistimos a mais 13 novos casos e, no dia 11, a cidade registava 2199 casos confirmados e 12 novas infeções. Dia 12, a autarquia divulgou os dados relativos à covid-19 no concelho fornecidos pela Autoridade de Saúde local, e verificou-se uma subida de 12 novas infeções. Dia 13, mais duas, dia 14 não se verificou qualquer infeção e, dia 15, quatro novos casos positivos da infeção. Contas feitas, em apenas sete dias foram registadas 80 infeções de SARS-CoV-2.
Entre 4 e 31 de janeiro, os óbitos registados em Portugal foram 59% superiores à média para igual período entre 2015 e 2019, revelou, na última sexta-feira, o Instituto Nacional de Estatística. Apesar destes dados divulgados constarem de uma nota intitulada “Indicadores de contexto para a pandemia COVID-19 em Portugal”, deve-se assinalar que a pandemia não é a única responsável pelo excesso de mortalidade.
Entre os 308 concelhos de Portugal há diferenças muito significativas na variação da mortalidade. Na Área Metropolitana do Porto, contudo, os aumentos nos óbitos são bem menores. O conjunto dos 17 municípios apresentou uma subida de 42%. A variação, em percentagem, dos óbitos face à média é 82%. S. João da Madeira, Espinho e Vila do Conde registam uma subida nas mortes acima de 80% e, em Arouca, a mortalidade chegou mesmo a baixar 14% face aos valores de referência.
‘O Regional’ tentou apurar junto da Autoridade Local de Saúde o número de óbitos na cidade, mas não foi possível obter essa informação até ao fecho da nossa edição.

Vacinação de idosos e bombeiros já começou
Os bombeiros voluntários de S. João da Madeira, assim como os de Oliveira de Azeméis, Fajões e de Vale de Cambra começaram, na última sexta-feira, a serem vacinados contra a covid-19 no Centro de Saúde sanjoanense. Cada corporação só irá vacinar metade do seu efetivo, sendo dada prioridade aos “operacionais da saúde”, segundo fonte dos bombeiros.
Na cidade, teve início, também na segunda-feira, dia 15, a vacinação contra a covid-19 aos primeiros utentes referenciados pelas unidades de saúde familiares do Agrupamento de Centros de Saúde Aveiro-Norte, que engloba as estruturas de S. João da Madeira, Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra (ACES Aveiro Norte). Segundo apurámos, nesta fase está a ser realizada a primeira toma. Posteriormente, será efetuada a segunda toma, para assegurar a imunização face ao coronavírus.

70 pessoas vacinadas em dois dias
Nos primeiros dois dias desta semana, foram vacinadas em S. João da Madeira cerca de 70 pessoas, incluindo residentes no município sanjoanense e nos concelhos de Oliveira de Azeméis e Vale de Cambra, que são abrangidos pelo mesmo agrupamento de centros de saúde.
Entretanto, e tendo em vista a fase de massificação deste processo, o Presidente da Câmara de S. João da Madeira revelou que está a ser preparado um centro de vacinação municipal, que terá capacidade de resposta para um ritmo diário de afluência superior ao registado atualmente no Centro de Saúde.
Adiantando que esse serviço poderá vir a ser instalado na zona da Oliva Creative Factory, Jorge Sequeira revelou ainda, na reunião de Câmara desta semana, que foi decidida a realização de testes rápidos nas escolas de acolhimento de filhos de profissionais de serviços essenciais, num programa do Ministério da Educação, em articulação com a DGS e a Cruz Vermelha.
O edil referiu que foram realizados nas escolas sanjoanenses cerca de 170 desses testes rápidos, até à última terça-feira, no âmbito de um processo que, em princípio, irá prosseguir com uma cadência semanal.

2% da população já foi vacinada
A Direção-Geral da Saúde apresentou, na última terça-feira, o primeiro relatório de monitorização da vacinação contra a covid-19 em Portugal, produzido em articulação com a task-force da vacinação e em colaboração com os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde).
Até à última terça-feira, 199 511 pessoas já fizeram a vacinação completa, o que corresponde a 2% da população, e 332 762 pessoas (3%) já tomaram a primeira dose da vacina. Segundo o boletim, que reporta a dados entre os dias 27 de dezembro e 14 de fevereiro, a região norte é a que regista mais pessoas vacinadas: são 171 789 no total.

8 Recomendações
comments icon0 comentários
0 favoritos
6 visualizações
bookmark icon

Escreva um comentário...

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *