Sociedade

Presto Duo angariam 2435 euros para o Hospital S. Sebastião

• Favoritos: 18


Solidariedade e cultura de mãos dadas. Presto Duo, grupo musical da região angariou 2435 euros para Hospital S. Sebastião, valor que já foi entregue.

Foi nos momentos mais críticos da pandemia, com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) a ser posto à prova, que os portugueses se mostraram mais unidos e disponíveis para ajudar.  Anónimos, coletividades e instituições mostraram ser capazes de, mais uma vez, prestar um apoio relevante na resolução dos problemas. Nesse lote encontram-se os músicos, que sempre disseram presente quando se fala em ser solidário. Os Presto Duo são bom exemplo disso: no final de 2020, o grupo musical da região lançou uma campanha de angariação de fundos, que juntou 2435 euros, valor entregue, na semana passada, à Liga dos Amigos do Hospital S. Sebastião, em Santa Maria da Feira.
O ano de 2020 e o arranque de 2021 ficaram marcados pela pandemia da covid-19, e pelo desgaste de quem esteve na primeira linha do combate a este vírus. Muitas foram as debilidades que vieram à superfície, quando o SNS foi chamado a atuar, tendo entrado mesmo em rutura, tal foi a dimensão desta pandemia. Mas, o povo português sempre teve um espírito solidário, que nas horas mais difíceis se evidenciou.

Foram muitos os que contribuíram para que as nossas fragilidades fossem transformadas em forças. Com dinheiro, com equipamentos médicos, com bens alimentares, ou outros, foram contribuindo de forma abnegada. Neste lote de beneficentes encontra-se o grupo musical Presto Duo, composto por músicos da região, que movidos pelo sentimento solidário e, ao mesmo tempo, impedidos de fazer aquilo de que mais gostam, que é atuar em público, resolveram lançar uma campanha de angariação de fundos para compra de equipamentos de apoio hospitalar.

Hospital S. Sebastião - Feira

Eduardo Silva, violinista dos Presto Duo, lembra que a iniciativa nasceu pelo facto da banda não ter podido cumprir a sua tradição de Natal: “lançar um vídeo, com uma nova música composta por nós”. “Com a questão da pandemia ficamos limitados, no entanto, resolvemos não ficar fechados num estúdio e pegamos naquilo que já tínhamos de gravações mais antigas e decidimos fazer algo diferente”, tendo surgido a ideia de produzir um CD, com fins solidários. “Este disco foi totalmente produzido por nós, e não por uma editora”, refere o músico, que recorda como chegaram à escolha do Hospital S. Sebastião como instituição beneficente: “não foi por nenhuma razão especial. Tentamos reunir algumas ideias de associações que fossem mais próximas de nós e, ao mesmo tempo, quisemos perceber onde o dinheiro iria ser empregue”.

Liga dos Amigos do Hospital S. Sebastião já começou a investir verba angariada

Nesse sentido, contactaram a Liga dos Amigos do Hospital S. Sebastião, em Santa Maria da Feira, que lhes explicaram o conceito e onde o dinheiro iria ser utilizado. “Falamos com o presidente da Liga que nos disse que o destino do dinheiro será para equipamento hospitalar e para pagar algumas despesas de farmácia de famílias mais carenciadas. Identificamo-nos logo com a causa”, descreve o músico. Colocados os pés ao caminho, e posta em prática a iniciativa, Eduardo Silva reconhece que o resultado da iniciativa foi uma surpresa muito grande para o grupo. ”Não estávamos minimamente à espera de tanta adesão”, até porque, como nos explica, a divulgação foi apenas feita através da rede de contactos do grupo e nas redes sociais, para lá da venda na loja solidária da Liga. No entanto, a iniciativa acabou por chegar além-fronteiras, tendo sido enviados CD's para Espanha, França, Suíça, Alemanha, Inglaterra e Irlanda.

A iniciativa dos Presto Duo teve um saldo positivo, redundando na venda de quase 300 discos, e que permitiu a angariação de 2435 euros, valor que já foi entregue à Liga dos Amigos do Hospital S. Sebastião, em Santa Maria da Feira. O músico referiu ainda que o CD não tinha um preço fixo, e que as pessoas poderiam dar aquilo que entendessem. “Não colocamos nenhum valor mínimo. Se as pessoas quisessem dar apenas um euro tinham direito ao CD, e só assim é que conseguiríamos chegar a toda a gente. Mas, no meio disto tudo, houve muitas surpresas agradáveis. Cheguei a ter uma pessoa que me deu 50 euros por um disco”, recorda com satisfação.

O confinamento está a ser um grande travão mas é “um mal necessário”

No caso dos Presto Duo, que não são músicos profissionais, a pandemia está a impedir de fazerem aquilo que gostam. “Este não é o nosso ganha-pão, mas encaramos a música como um segundo trabalho. No nível em que estamos , não é apenas um hobbie, pois já temos uma responsabilidade muito grande com aqueles que nos contratam e com o público, que esperam sempre um bocadinho mais do que mostramos da última vez”. Segundo Eduardo Silva, “o ano está a ser devastador”, lembrando que mudou toda a forma de trabalhar, pois “já não fazemos ensaios presenciais, e os poucos eventos que fizemos em 2020, não tiveram o mesmo sabor, pois foram com muitas condicionantes e muito distanciamento. Nós vivemos muito de emoções e elas não transpareciam”. O músico lamentou a situação, mas mostrou-se resignado ao afirmar que este ano “é um 2020 mais um”, lembrando que não é apenas mau para a cultura, mas sim para todos os setores de atividade, e considerando ser “um mal necessário”.

Independentemente de todas estas condicionantes, a iniciativa solidária em que o grupo participou foi uma experiência que Eduardo Silva gostaria de ver repetida. “Participar em eventos solidários está quase na génese dos músicos. Quando se quer fazer algum evento deste género convidam-se os músicos em primeiro lugar, e acredito que esta pode ser uma experiência que poderemos vir a repetir”, assegura.

‘O Regional’ sabe que, com a verba disponibilizada, já foram adquiridos diversos equipamentos necessários, como cadeira de rodas, camas articuladas, andarilhos, entre outros. E também foi possível efetuar o pagamento de despesas de farmácia de famílias que estão mais desprotegidas.

18 Recomendações
38 visualizações
bookmark icon